Uma imagem vale mais que mil palavras. Será?

em Uncategorized.

Uma imagem vale mais que mil palavras, curso de fotografia, aula de fotografia sp, escola de fotografia sp, cursos de fotografia, aulas de fotografia, escolas de fotografia, cursos de fotografia online, curso de fotografia, focus fotografia, focus, escola focus, cursos vips de fotografia, focus escola de fotografia, melhores escolas de fotografia sp

Lado esquerdo, notícia verdadeira: Imigrantes haitianos recebem ajuda do mistério do trabalho e voluntários na paróquia Nossa Senhora da Paz, no bairro do Glicério em São Paulo
Lado direito, notícia falsa utilizando a mesma foto com milhares de compartilhamentos nas redes sociais com a Manchete: “Haitianos e bolivianos na fila para receber R$ 35,00 da CUT para protestar a favor da Dilma”
Ah, sim! Uma imagem pode sim valer por mil palavras, mas não todas… não todas!   

Alan Morici discute o valor da união entre o texto e a imagem em uma reportagem jornalística e como isso pode afetar a informação 

Alan Morici

Não é errado dizer que uma boa fotografia é capaz de dizer muita coisa, também é possível afirmar que um conjunto delas, pode facilmente contar uma história sem uma única palavra, mas talvez seja exagero depositar toda essa confiança nas costas de uma foto ou um ensaio fotográfico. A fotografia jornalística costuma ter um parceiro indispensável, este parceiro se chama texto.

Partindo da premissa que ninguém faz nada sozinho, a fotografia também precisa de uma boa parceria para cumprir sua função e minimizar a margem de interpretações equivocadas sobre determinadas imagens.

Num mundo contemporâneo onde a fotografia se transformou no reflexo da realidade e da existência, nada como um bom texto para colocar os pontos nos “is” e dar uma mãozinha na interpretação das imagens. Abaixo cito duas situações onde destaco a importância do texto no fotojornalismo.

1 – O texto escrito por terceiro – A relação entre repórter e repórter fotográfico: Esta é uma dobradinha antiga que sempre funcionou muito bem nas redações dos veículos de comunicação, porém, com a crise brava no jornalismo, infelizmente é uma parceria que está cada vez mais rara de se ver e que, não receio em afirmar, corre sério risco de extinção.

A relação entre o repórter (muitas vezes chamado de canetinha) e o fotógrafo, sempre foi de suma importância para a organização dos fatos a serem publicados.  O bom relacionamento entre os dois profissionais, o respeito e confiança mutua, já renderam grandes reportagens mudo a fora. Juntos, a busca pelo personagem, o local ou a história, acaba sendo mais fácil e seu desfecho mais completo.

Saber qual suporte visual o repórter precisa para fazer seu texto pode ajudar a nortear o fotógrafo e desta forma conduzir melhor seu trabalho, o que não quer dizer que o repórter não possa usar as fotos como estímulo para a criação de seu texto, o importante é ter um sincronismo entre texto e foto, algo que se consegue com muita conversa antes da pauta, esta preparação faz parte da lição de casa do jornalismo escrito (jornal, revista, sites, etc) e pode fazer a diferença no resultado final de um trabalho.

Na prática enquanto um busca informações, faz anotações e grava suas entrevistas, o outro fica livre para criar sua fotografia, depois é só por tudo na panela, misturar e a reportagem ficará pronta, não necessariamente com esta simplicidade aparente. Nada como um bom repórter para contextualizar um trabalho fotojornalístico.

2 – O texto escrito pelo próprio fotógrafo, também conhecido como texto legenda: Uma das grandes preocupações do fotojornalista sempre foi a precisão dos fatos retratados, se fotojornalismo consiste em contar histórias, algumas regrinhas do jornalismo devem ser cumpridas, e a principal delas é o “lead”, que consiste em responder de forma simples e objetiva algumas perguntas fundamentais como: Quem? Quando? O quê? Como? Onde? Por quê?

Na fotografia digital, usamos o termo “File Info” quando inserimos essas informações na fotografia através de programas de edição de imagem. Feito isso de forma fiel “garantimos” que a fotografia não perderá seu valor histórico e nem contextual através do tempo. Com o avanço da tecnologia, a necessidade de inserir a legenda da forma mais correta possível, se tornou ainda mais primordial.

Um dos fatores deve-se à imensa quantidade de fotografias que são produzidas por dia por todo o mundo e muitas vezes ficam perdidas e isoladas em HDs, sem uma identidade. Mas o principal motivo para uma legenda bem feita é a compatibilidade das imagens produzidas como os sistemas de buscas cada vez mais avançados dos grandes bancos de imagens, jornais, sites e agências de notícias.

Estas empresas são capazes de fazer uma varredura em seus sistemas e buscar imagens em seus arquivos através de palavras chaves inseridas no texto legenda, como o nome do personagem, local da pauta ou data, exemplo: “O cantor Roberto Carlos celebra seu aniversário de 74 anos com um show no estádio Allianz Parque, na zona oeste de São Paulo, neste sábado (18/04/2015). Foto: Alan Morici”.

Basta digitar umas das palavras contidas no texto e é possível localizar a fotografia que se está buscando. Outro bom motivo para inserir a legenda na foto é assegurar a veracidade dos fatos, tendo a imagem e o texto como prova caso esta seja utilizada de forma indevida, enganosa, equivocada ou fora de contexto para beneficiar alguém ou grupos específicos.

Uma realidade que qualquer fotógrafo está sujeito dentro de um mundo virtual cada vez mais rápido e globalizado, em que uma foto com informação distorcida pode virilizar em poucos minutos.

Fonte: https://goo.gl/20CD3L    

Gostou? Veja + no Blog da Focus: http://focusfoto.com.br/blogs/  

FOCUS Escola de Fotografia –  http://focusfoto.com.br
Conheça os novos cursos da Focus: http://focusfoto.com.br/cursos/

Confira opinião de Ex-Alunos: https://goo.gl/yRlkM9
Fale com a Focus: [email protected]

Seja fotografo regulamentado
Obtenha seu registro Mtb de fotografo profissional

 Referência em ensino de fotografia
“Faça bem feito, faça Focus! – Desde 1975”

Sobre o autor

ATENÇÃO: OS TEXTOS, MATÉRIAS TÉCNICAS, APRESENTADAS NESSE BLOG SÃO PESQUISADAS, SELECIONADAS E PRODUZIDAS PELOS ALUNOS, PROFESSORES E COLABORADORES DA FOCUS PARA USO MERAMENTE DIDÁTICO E COMPLEMENTAR ÁS AULAS DE FOTOGRAFIA NAS MODALIDADES DE CURSOS PRESENCIAIS OU A DISTÂNCIA EAD, MANTIDOS PELA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA, SEM QUALQUER OUTRO TIPO DE PROPÓSITO, RELEVÂNCIA OU CONOTAÇÃO. PARA MAIORES INFORMAÇÕES CONSULTE https://focusfoto.com.br A Focus é a única escola de fotografia no Brasil, que oferece ao aluno o direito de obter seu REGISTRO LEGALIZADO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL, emitido pelo Ministério do Trabalho, por meio de cursos com carga horária total de 350 horas, incluindo períodos de estágio, preparo e defesa de TCC OS CURSOS DA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA SÃO RECONHECIDOS PELA LEI N. 9.394, ARTIGO 44, INCISO 1 (LEI DE EDUCAÇÃO) O REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL é unificado, sendo o mesmo obtido pelas melhores Universidades Públicas do Estado de São Paulo. E você poderá obtê-lo EM QUALQUER MODALIDADE DE CURSOS DA FOCUS, presenciais ou a distância EAD em menos de 6 meses de curso. O aluno obterá seu REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL diretamente nas agências regionais do Ministério do Trabalho e Emprego. Este registro é fundamental para o exercício legal da profissão, constituição de seu próprio negócio, ingressos em concursos públicos e processos admissionários em empresas de fotografia, públicas ou particulares, bancos de imagens, agências de notícias, jornalismo e consularização de seu registro de fotógrafo, caso queira trabalhar em outros países ou Ongs. Internacionais, como "FOTÓGRAFOS SEM FRONTEIRAS" entre outras modalidades. SEJA FOTÓGRAFO DEVIDAMENTE REGULAMENTADO. QUALIDADE E EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO FOTOGRÁFICA É NOSSO DIFERENCIAL HÁ MAIS DE QUATRO DÉCADAS. Os alunos recém-formados pela Focus competem em nível de igualdade com fotógrafos profissionais que estão no mercado há mais de 30 anos. Na FOCUS, o aluno entra no mercado de trabalho pela porta da frente! Os alunos, após formados, são encaminhados para o mercado de trabalho. Cursos 100% práticos, apostilados e com plantão de dúvidas. Faça bem feito, faça Focus! Há mais de 44 anos formando novos profissionais. AUTOR DO PROJETO e MEDIADOR DESSE BLOG: Prof. Dr. Enio Leite Alves, Professor Titular aposentado da Universidade de São Paulo, nascido em São Paulo, SP, 1953. PROF. DR. ENIO LEITE: Área de atuação: Fotografia educacional, fotografia autoral, fotojornalismo, moda, propaganda e publicidade. Pesquisador iconográfico. Sociólogo, jornalista, físico, fotoquímico, inventor e docente universitário. Fotografo de imprensa desde 1967, prestando serviços para os Diários Associados e professor do Sesc e do Curso de Artes Fotográficas Senac Dr. Vila Nova, São Paulo. Fotografo do Jornal da Tarde em 1972 -1973. Em 1975, funda a FOCUS – ESCOLA DE FOTOGRAFIA, primeira instituição de ensino técnico e tecnológico da AMÉRICA LATINA. No mesmo ano, suas fotos são premiadas na 13ª Bienal Internacional de São Paulo, quando a fotografia passa a reconhecida pela primeira vez como obra de valor artístico. Enio Leite, fundador do MOVIMENTO PHOTOUSP no início dos anos 70, com Raul Garcez e Sergio Burgi, entre outros, no centro acadêmico da Escola Politécnica, na Cidade Universitária, São Paulo-SP. Professor de fotografia publicitária da Escola Superior de Propaganda e Marketing, (ESPM), 1982 a 1984. Mestre em Ciências da Comunicação em 1990, pela Escola de Comunicação e Artes, USP. Doutor em História da Fotografia, Fotoquímica, Óptica fotográfica e Fotografia Publicitária Digital, em 1993, pela UNIZH, Suíça. No ano de 1997 obteve Livre Docência na Universitá Degli Studi di Roma Tre. Professor convidado pela Miami Dade University, Flórida, 1995. Pesquisador e escritor, publicou o primeiro livro didático em língua portuguesa sobre fotografia digital, Editora Viena, São Paulo, maio 2011, já na quarta edição e presente nas principais universidades brasileiras portuguesas. Colabora com artigos, ensaios, pesquisas e títulos sobre fotoquímica, radioquímica, técnica fotográfica, tecnologia digital da imagem, semiótica e filosofia da imagem para publicações especializadas nacionais e internacionais. (Fonte: Agência Estado - 12/03/2019)

Deixe seu comentário

  • (não será mostrado)