Do front do século 20: o legado de Don McCullin, um dos maiores fotógrafos de guerra da história

em Artigos e Entrevistas, Dicas & Tutoriais, Notícias.

(11) 3104 6951,  cursos profissionalizantes de fotografia sp, fotógrafos de guerra, Vietnã, Chipre, Congo, Biafra, Camboja, Bangladesh, El Salvador, Líbano, Fotografia, escolas de fotografias sp, cursos de fotografia sp, curso de fotografias sp, notícias sobre fotografia, curso fotografias, melhores curso de fotografias sp, melhores cursos de fotografias sp, curso de fotografia sp melhores,     escola focus, escola de fotografia focus, melhores cursos fotografia sp, enio leite, cursos fotografia focus, cursos de fotografia online , curso de photoshop sp, dicas de fotografia , cursos de fotojornalismo sp,  cursos de fotografia focus, aulas de fotografia online, cursos de fotografia em Santos, melhores escolas de fotografia no Brasil, cursos de vídeo digital Full HD,  curso de fotografia sp, curso de fotografia digital, cursos de fotografia são paulo,cursos de fotografia zona leste, noticias sobre, cursos de fotografia zona sul sp, focus foto, curso técnico de fotografia sp, melhores cursos técnicos de fotografia sp, escolas de fotografia profissional sp, escolas de fotografia sp

Família estilope, Africa – 2002

Adriana Carranca/Estadão

Don McCullin é um dos maiores e mais premiados fotógrafos de guerra da história. Saiu do então empobrecido bairro de Finsbury Park, no norte de Londres, para registrar os principais acontecimentos do século 20, da guerra no Vietnã aos campos de batalha em Chipre, Congo, Biafra, Camboja, Bangladesh, El Salvador, Líbano. Nesse depoimento comovente, McCullin faz uma das mais belas reflexões que eu já vi sobre o valor do jornalismo de guerra.

“Havia um atirador tentando me matar. Ele acertou minha câmera, na altura do meu rosto. Eu ainda tenho aquela Nikon com um furo de bala”, ele começa. “A maior parte dos últimos 50 anos da minha vida foi desperdiçada fotografando guerras. Que bem eu fiz compartilhando essas imagens de sofrimento? Quando alguém está morrendo ou gravemente ferido e em choque, ele precisa de alguém olhando para ele através de uma câmera? Você é a última pessoa que ele quer ver! Ele quer ver médicos correndo para ele, não eu.”

McCullin se esquece que a informação é também um antídoto. Suas fotografias ajudaram o mundo a compreender os horrores das guerras e a caminhar no sentido de evitar os massacres. Quando começou a clicar, nos anos 1950, as leis humanitárias que protegem civis nos conflitos engatinhavam. Podem ser ainda desrespeitadas, mas as violações contra civis são largamente reconhecidas hoje como crimes de guerra, e isso se deve precisamente ao trabalho de pessoas generosas como McCullin. Sua dedicação à fotografia de guerra teve um preço.

“A guerra é algo completamente fora de controle”, diz. “Todos os valores errados saíam de mim e eu tinha de lidar com eles. Não há como mudar o cenário. Você não pode evitar que pessoas sejam mortas na sua frente.” McCullin revela como vive atormentado por esses pensamentos e por lembranças “apavorantes” da guerra. “Não precisa ser à noite. Eu tenhos esses pensamentos num táxi ou trem a caminho do interior. (…) São tantas memórias apavorantes. Você não pode… Você não terá uma vida depois de 50 anos fazendo o que eu fiz… Você pode ter um dia bom e empurrar para longe esses pensamentos, mas eles voltam sem ser convidados, inesperados…” O fotógrafo fala das dificuldades da vida em família ao voltar de conflitos. “Eu tenho filhos para tomar conta, tenho uma família e isso mantinha meu balanço. Mas era difícil. Era difícil voltar a Londres depois de testemunhar crianças morrendo famintas e ver meus filhos recusando o almoço de domingo. Eu precisava manter o foco para não sair gritando com eles. Era tão difícil…” McCullin pergunta: “Mas não é mesmo difícil ser um ser humano?”

Nos últimos anos, McCullin passou a fotografar paisagens, principalmente da Grã-Bretanha e Índia. “Quando meu tempo acabar, eu quero deixar para trás um legado de paisagens belas como Somerset. Não quero ser lembrado como um fotógrafo de guerra. Eu odeio esse título.”

Fonte: http://goo.gl/KnOmOx

Sobre o autor

ATENÇÃO: OS TEXTOS, MATÉRIAS TÉCNICAS, APRESENTADAS NESSE BLOG SÃO PESQUISADAS, SELECIONADAS E PRODUZIDAS PELOS ALUNOS, PROFESSORES E COLABORADORES DA FOCUS PARA USO MERAMENTE DIDÁTICO E COMPLEMENTAR ÁS AULAS DE FOTOGRAFIA NAS MODALIDADES DE CURSOS PRESENCIAIS OU A DISTÂNCIA EAD, MANTIDOS PELA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA, SEM QUALQUER OUTRO TIPO DE PROPÓSITO, RELEVÂNCIA OU CONOTAÇÃO. PARA MAIORES INFORMAÇÕES CONSULTE https://focusfoto.com.br A Focus é a única escola de fotografia no Brasil, que oferece ao aluno o direito de obter seu REGISTRO LEGALIZADO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL, emitido pelo Ministério do Trabalho, por meio de cursos com carga horária total de 350 horas, incluindo períodos de estágio, preparo e defesa de TCC OS CURSOS DA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA SÃO RECONHECIDOS PELA LEI N. 9.394, ARTIGO 44, INCISO 1 (LEI DE EDUCAÇÃO) O REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL é unificado, sendo o mesmo obtido pelas melhores Universidades Públicas do Estado de São Paulo. E você poderá obtê-lo EM QUALQUER MODALIDADE DE CURSOS DA FOCUS, presenciais ou a distância EAD em menos de 6 meses de curso. O aluno obterá seu REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL diretamente nas agências regionais do Ministério do Trabalho e Emprego. Este registro é fundamental para o exercício legal da profissão, constituição de seu próprio negócio, ingressos em concursos públicos e processos admissionários em empresas de fotografia, públicas ou particulares, bancos de imagens, agências de notícias, jornalismo e consularização de seu registro de fotógrafo, caso queira trabalhar em outros países ou Ongs. Internacionais, como "FOTÓGRAFOS SEM FRONTEIRAS" entre outras modalidades. SEJA FOTÓGRAFO DEVIDAMENTE REGULAMENTADO. QUALIDADE E EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO FOTOGRÁFICA É NOSSO DIFERENCIAL HÁ MAIS DE QUATRO DÉCADAS. Os alunos recém-formados pela Focus competem em nível de igualdade com fotógrafos profissionais que estão no mercado há mais de 30 anos. Na FOCUS, o aluno entra no mercado de trabalho pela porta da frente! Os alunos, após formados, são encaminhados para o mercado de trabalho. Cursos 100% práticos, apostilados e com plantão de dúvidas. Faça bem feito, faça Focus! Há mais de 44 anos formando novos profissionais. AUTOR DO PROJETO e MEDIADOR DESSE BLOG: Prof. Dr. Enio Leite Alves, Professor Titular aposentado da Universidade de São Paulo, nascido em São Paulo, SP, 1953. PROF. DR. ENIO LEITE: Área de atuação: Fotografia educacional, fotografia autoral, fotojornalismo, moda, propaganda e publicidade. Pesquisador iconográfico. Sociólogo, jornalista, físico, fotoquímico, inventor e docente universitário. Fotografo de imprensa desde 1967, prestando serviços para os Diários Associados e professor do Sesc e do Curso de Artes Fotográficas Senac Dr. Vila Nova, São Paulo. Fotografo do Jornal da Tarde em 1972 -1973. Em 1975, funda a FOCUS – ESCOLA DE FOTOGRAFIA, primeira instituição de ensino técnico e tecnológico da AMÉRICA LATINA. No mesmo ano, suas fotos são premiadas na 13ª Bienal Internacional de São Paulo, quando a fotografia passa a reconhecida pela primeira vez como obra de valor artístico. Enio Leite, fundador do MOVIMENTO PHOTOUSP no início dos anos 70, com Raul Garcez e Sergio Burgi, entre outros, no centro acadêmico da Escola Politécnica, na Cidade Universitária, São Paulo-SP. Professor de fotografia publicitária da Escola Superior de Propaganda e Marketing, (ESPM), 1982 a 1984. Mestre em Ciências da Comunicação em 1990, pela Escola de Comunicação e Artes, USP. Doutor em História da Fotografia, Fotoquímica, Óptica fotográfica e Fotografia Publicitária Digital, em 1993, pela UNIZH, Suíça. No ano de 1997 obteve Livre Docência na Universitá Degli Studi di Roma Tre. Professor convidado pela Miami Dade University, Flórida, 1995. Pesquisador e escritor, publicou o primeiro livro didático em língua portuguesa sobre fotografia digital, Editora Viena, São Paulo, maio 2011, já na quarta edição e presente nas principais universidades brasileiras portuguesas. Colabora com artigos, ensaios, pesquisas e títulos sobre fotoquímica, radioquímica, técnica fotográfica, tecnologia digital da imagem, semiótica e filosofia da imagem para publicações especializadas nacionais e internacionais. (Fonte: Agência Estado - 12/03/2019)

Deixe seu comentário

  • (não será mostrado)