A fotógrafa polêmica que a Oi censurou no Brasil

em Notícias.

Nan Goldin Fotos Polemicas Escola Focus Enio Leite Cursos de Fotografia em SP Cursos de Photoshop Blog Escola Focus

trabalho de Nan Goldin, traz imagens cruas, sinceras e íntimas, com poesia e sem meias palavras.

Parte 1

A Oi Futuro, braço da empresa de telefonia Oi dedicado ao patrocínio de projetos culturais, voltou atrás, nesta segunda-feira, na decisão, tomada na última sexta, de suspender a exposição da fotógrafa americana Nan Goldin. A mostra seria aberta dia 9 de janeiro no endereço institucional Oi Futuro Flamengo, no Rio, e apresentaria o trabalho controverso de Nan, que clica sexo explícito – muitas vezes observado por crianças – e consumo de drogas. As imagens serão agora expostas a partir de 12 de fevereiro no Museu de Arte Moderna no Rio de Janeiro (MAM-RJ) onde, de acordo com a empresa, dispõem da liberdade demandada pelo projeto da fotógrafa.

O cancelamento da mostra foi justificado pelo teor das imagens, que só foram enviadas pela artista para análise da Oi na semana passada. Em vez dela, a Oi Futuro esperava expor a série de fotos Scopophilia, de reproduções de obras do Louvre. Nan Goldin, de todo modo, é conhecida por levantar discussões acaloradas ao expor fotos de crianças nuas ou seminuas junto aos pais em plena atividade sexual, além de viciados em drogas com seringas presas aos braços. A artista defende as fotos das crianças como testemunhas do sexo com o argumento de que a maldade está nos olhos de quem vê.

Diante da negativa da empresa patrocinadora em expor as fotos de conteúdo controverso, a curadora Lígia Canongia mobilizou o meio artístico através de e-mails. A pressão deu certo. Nesta segunda-feira, a Oi Futuro anunciou que a mostra será abrigada pelo MAM-RJ, com o seu patrocínio.

A seguir, trecho do comunicado oficial:

“A missão do Oi Futuro é a promoção da educação e, nesse sentido, o instituto tem a praxe de avaliar o material que será exibido em seus centros culturais para assegurar que haja uma relação entre as obras e os programas educacionais realizados nas suas dependências, com crianças e jovens. Diariamente, o programa educativo recebe dezenas de turmas de alunos das escolas da rede pública e privada, para visitas guiadas pelo centro cultural do Flamengo. O Oi Futuro segue os preceitos do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), que regulamenta o tratamento social e legal a ser dado a crianças e adolescentes em todo país, visando sua proteção integral.”

Veja fotos: http://www.google.com.br/search?tbm=isch&hl=pt-BR&source=hp&biw=1280&bih=578&q=nan+goldin+photos&gbv=2&oq=Nan+Goldin&aq=2&aqi=g3g-S7&aql=&gs_sm=c&gs_upl=1078l1078l0l3969l1l1l0l0l0l0l156l156l0.1l1l0

Fonte: http://veja.abril.com.br/noticia/celebridades/oi-futuro-desiste-de-suspender-patrocinio-a-exposicao-de-fotos-controversa-mas-disfarca-o-apoio

A fotógrafa polêmica que a Oi censurou no Brasil
Parte 2

O trabalho de Nan Goldin, que seria exposto no Rio de Janeiro, traz imagens cruas, sinceras e íntimas, com poesia e sem meias palavras.

O enquadramento duro e honesto da fotógrafa estadunidense Nan Goldin já gerou muita polêmica e a colocou desde muito nova entre os mais conhecidos fotógrafos documentais do mundo contemporâneo.

Suas fotos são cruas, sinceras, íntimas e absolutamente ligadas à própria vida da artista. Nan Goldin retrata não só o que vê, mas o que vive, com poesia, e sem meias palavras. Ela diz que não se pode retratar aquilo que não se viveu.

Sem hesitar, a câmera de Goldin captura pessoas em situações mais do que íntimas, o universo dos gays e transsexuais em Boston, as festas regadas a álcool e sexo em Nova Iorque, a penumbra do quarto onde seu amigo falece, de AIDS, em Paris.

Nos anos 70 e 80, cercada pelo uso e abuso de drogas, Nan Goldin retrata seus amigos, casais em momentos pacíficos e agressivos, e sem medo se fotografa também. Em um de seus mais famosos auto-retratos, Nan aparece com o olho roxo. Ela havia sido espancada por um ex-namorado cerca de um mês antes. Goldin explicou posteriormente que era uma foto para não se esquecer do sofrimento.

Veja mais: http://rede.outraspalavras.net/pontodecultura/2011/11/28/a-fotografa-polemica-que-a-oi-censurou-no-brasil/

Sobre o autor

ATENÇÃO: OS TEXTOS, MATÉRIAS TÉCNICAS, APRESENTADAS NESSE BLOG SÃO PESQUISADAS, SELECIONADAS E PRODUZIDAS PELOS ALUNOS, PROFESSORES E COLABORADORES DA FOCUS PARA USO MERAMENTE DIDÁTICO E COMPLEMENTAR ÁS AULAS DE FOTOGRAFIA NAS MODALIDADES DE CURSOS PRESENCIAIS OU A DISTÂNCIA EAD, MANTIDOS PELA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA, SEM QUALQUER OUTRO TIPO DE PROPÓSITO, RELEVÂNCIA OU CONOTAÇÃO. PARA MAIORES INFORMAÇÕES CONSULTE https://focusfoto.com.br A Focus é a única escola de fotografia no Brasil, que oferece ao aluno o direito de obter seu REGISTRO LEGALIZADO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL, emitido pelo Ministério do Trabalho, por meio de cursos com carga horária total de 350 horas, incluindo períodos de estágio, preparo e defesa de TCC OS CURSOS DA FOCUS ESCOLA DE FOTOGRAFIA SÃO RECONHECIDOS PELA LEI N. 9.394, ARTIGO 44, INCISO 1 (LEI DE EDUCAÇÃO) O REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL é unificado, sendo o mesmo obtido pelas melhores Universidades Públicas do Estado de São Paulo. E você poderá obtê-lo EM QUALQUER MODALIDADE DE CURSOS DA FOCUS, presenciais ou a distância EAD em menos de 6 meses de curso. O aluno obterá seu REGISTRO DE FOTÓGRAFO PROFISSIONAL diretamente nas agências regionais do Ministério do Trabalho e Emprego. Este registro é fundamental para o exercício legal da profissão, constituição de seu próprio negócio, ingressos em concursos públicos e processos admissionários em empresas de fotografia, públicas ou particulares, bancos de imagens, agências de notícias, jornalismo e consularização de seu registro de fotógrafo, caso queira trabalhar em outros países ou Ongs. Internacionais, como "FOTÓGRAFOS SEM FRONTEIRAS" entre outras modalidades. SEJA FOTÓGRAFO DEVIDAMENTE REGULAMENTADO. QUALIDADE E EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO FOTOGRÁFICA É NOSSO DIFERENCIAL HÁ MAIS DE QUATRO DÉCADAS. Os alunos recém-formados pela Focus competem em nível de igualdade com fotógrafos profissionais que estão no mercado há mais de 30 anos. Na FOCUS, o aluno entra no mercado de trabalho pela porta da frente! Os alunos, após formados, são encaminhados para o mercado de trabalho. Cursos 100% práticos, apostilados e com plantão de dúvidas. Faça bem feito, faça Focus! Há mais de 44 anos formando novos profissionais. AUTOR DO PROJETO e MEDIADOR DESSE BLOG: Prof. Dr. Enio Leite Alves, Professor Titular aposentado da Universidade de São Paulo, nascido em São Paulo, SP, 1953. PROF. DR. ENIO LEITE: Área de atuação: Fotografia educacional, fotografia autoral, fotojornalismo, moda, propaganda e publicidade. Pesquisador iconográfico. Sociólogo, jornalista, físico, fotoquímico, inventor e docente universitário. Fotografo de imprensa desde 1967, prestando serviços para os Diários Associados e professor do Sesc e do Curso de Artes Fotográficas Senac Dr. Vila Nova, São Paulo. Fotografo do Jornal da Tarde em 1972 -1973. Em 1975, funda a FOCUS – ESCOLA DE FOTOGRAFIA, primeira instituição de ensino técnico e tecnológico da AMÉRICA LATINA. No mesmo ano, suas fotos são premiadas na 13ª Bienal Internacional de São Paulo, quando a fotografia passa a reconhecida pela primeira vez como obra de valor artístico. Enio Leite, fundador do MOVIMENTO PHOTOUSP no início dos anos 70, com Raul Garcez e Sergio Burgi, entre outros, no centro acadêmico da Escola Politécnica, na Cidade Universitária, São Paulo-SP. Professor de fotografia publicitária da Escola Superior de Propaganda e Marketing, (ESPM), 1982 a 1984. Mestre em Ciências da Comunicação em 1990, pela Escola de Comunicação e Artes, USP. Doutor em História da Fotografia, Fotoquímica, Óptica fotográfica e Fotografia Publicitária Digital, em 1993, pela UNIZH, Suíça. No ano de 1997 obteve Livre Docência na Universitá Degli Studi di Roma Tre. Professor convidado pela Miami Dade University, Flórida, 1995. Pesquisador e escritor, publicou o primeiro livro didático em língua portuguesa sobre fotografia digital, Editora Viena, São Paulo, maio 2011, já na quarta edição e presente nas principais universidades brasileiras portuguesas. Colabora com artigos, ensaios, pesquisas e títulos sobre fotoquímica, radioquímica, técnica fotográfica, tecnologia digital da imagem, semiótica e filosofia da imagem para publicações especializadas nacionais e internacionais. (Fonte: Agência Estado - 12/03/2019)

Deixe seu comentário

  • (não será mostrado)